domingo, 23 de setembro de 2012

E como tudo começou...

     Olá, meninas! Tudo bem? No meu caso está tudo bem, porque enquanto eu puder respirar sem dor e sem dificuldade, puder me locomover sem tanta ajuda, puder comer sem enjoar um absurdo, puder apreciar a beleza da vida, vou dizer que está tudo bem... Então, não está, mas estou num momento Pollyanna, e vou fingir que está tudo bem. :)

     Mas por que essa enrolação toda? Beeem, conheci uma mocinha muuuuuito simpática que trabalha na clínica onde me trato aqui no Rio, Centron. Adoro todo mundo que trabalha lá. Do meu onco (Dr.Daniel Tabak, mas sem esquecer de quem já me tirou de vários perrengues, Dr. Luiz Gustavo) à mocinha que leva o nosso lanchinho durante as aplicações da quimio, das enfermeiras lindas (Gi, Débora, Fernanda), com mãos de anjo às meninas da recepção (que sempre estão sorrindo). O que existe na água daquele lugar? Todos sorriem. Eu falava que não queria acabar a fase das aplicações, porque ia sentir saudade do clima legal que existe por lá... E é um clima legal messsssmo! Ahh, e a psi?? Claudinha é uma fofaaaaa! Adoro! Mais um dia prolixa, né? Vamos ao que interessa, Ninaaaa!



      Resumindo: a mocinha simpática da Centron, se chama Bete Wasserman, trabalha na parte de Marketing da clínica e bola ideias geniais para fazer com que os pacientes se sintam tão bem acolhidos. Comentei com ela do nosso encontro das Amigas do Peito (o grupo do Face), e ela me pediu para contar como essa ideia nasceu... (todo esse reme-reme de 3 parágrafos para dizer isso? Simmmmmmmm! Estou prolixa, lembram? Ahhh, já vou contar como foi... Mas antes vamos falar do clima... Fez calor hoje, né? Mesmo chovendo... Ah, a primavera promete... E a Carminha? Ela é doida, né? A Nina também precisa de ajuda profissional... Pensando bem, as mulheres dessa novela são todas umas idiotas... E eu sou a maior delas, porque falo mal, mas assisto...

     Podemos ir ao que interessa, Nina? Simmm... E vamos: vou contar como surgiu a ideia de criar o grupo Amigas do Peito no Facebook. E essa história se mistura com a minha história da doença... E que ambos tenham um final feliz.

- Em janeiro de 2011, me descobri com ca de mama. Mundo caiu, chão abriu, pensamentos de como seria meu enterro, que roupa eu ia usar, quem ia me maquiar, como ficar bem com algodão no nariz... aaaf, muitas coisas para decidir em tão pouco tempo. Com quem deixar meus bens: meu carrinho meu cachorro (lindaaaa, nossa!), meus sapatos... Nosssaaa, eleeees? Quem merece ficar com eles? Depois da 1a consulta, vejo que a morte não estava assim tão garantida. Ainda havia o que fazer, e muito! Vem a 2a fase: as perdas menores. Antes só pensava que ia morrer. Agora já pensava, vou perder um peito, ficar careca. engordar horrores, deixar de ser útil na sociedade... Nossa, muitas perdas em tão pouco tempo... e jovem, vai... Tinha 33 quando descobri tudo. E ainda veio o medo de não ser mãe. Fui deixando tudo para depois. O importante era ficar curada.

- Como eram muitos pensamentos para realizar, muitas decisões a tomar, muitas opiniões para acatar, eu precisava de alguém que me entendesse. De verdade, que já tivesse passado por isso. Precisava saber o que estava se passando pela minha cabeça, no meu eu interior mais profundo... E o que poderia ser feito? Os amigos, que se diziam os melhores, se afastaram quase todos, a família ajuda e muito (e não sei o que seria de mim se não fosse ela), mas ainda faltava um espaço onde eu conseguisse colocar tudo sem censuras e que me permitisse a troca com outras meninas "iguais" a mim.

- Criei o ninameninadepeito (este querido blog) logo depois do diagnóstico. Eu precisava de um lugar onde eu pudesse escrever o que eu sentia. Os sentimentos que estavam me amendrontando, as dúvidas e até as partes engraçadas. Em pouco tempo conheci outras meninas que faziam o mesmo que eu, e a gente sempre conversava através dos blogs.

- Com o aumento da "intimidade" virtual, rumamos para o MSN e Facebook. Mas a conversa ainda era ocasionalmente e entre uma ou outra. Eu que que só sabia mexer no Facebook para curtir foto dos outros, consegui criar um grupo. Achei que ele não fosse passar de 10 pessoas e que fosse durar uns 6 meses. Pensei que ia largar tudo assim que passasse a quimio.

- Bem, acabei a quimio, estava no meio do herceptin, quando vimos que só o abraço virtual não nos servia mais. Queríamos nos ver, nos abraçar. E assim, em maio de 2012, fizemos o I Encontro das Amigas de Peito. Foi em São Paulo e teve até a equipe do Mais Você. E nesse momento, aquele grupinho que começou porque 4 pacientes de câncer queriam conversar, virou um grupo de mais de 900 meninas. Sim, somos feministas, "por isso não provoque, sou cor de rosa-choqu"e e ficou decidido que só entra mulher. É o clube da Luluzinha e pronto!


- E hoje, 1 ano após eu ter terminado minha quimio, ainda aprendo cada dia mais, tiramos nossas dúvidas, rimos das nossas besteiras, demonsramos de peito aberto nossos medos, e somos felizes. E isso não é o que se espera de uma amizade? Nós somos as amigas do peito. Porque amigo é coisa para se guardar do lado esquerdo do peito, não é? A gente guarda. E não esquece jamais. E o que seria uma da outra sem a existência simples de um grupo de uma rede social... Um lugar de todas, para todas, onde todas são iguais nas suas singularidades. :) 

P.S. essa imagem é a da Fan Page. Também criei a fan page para facilitar a divulgação de mensagens, imagens, noícias... ;) E chegamos a 500 curtidas. Quer curtir também? Tem a figura aqui ao lado ou:

Ah, e se estiver descoberto a doença agora e estiver se sentindo sozinha, você não está mais só! 
Quer participar? Segue o link! Somos mais de 900 meninas passando pelo mesmo que você, quer como paciente, como familiar ou como amiga. :)
     Amigas do Peito

     Muitos beijos!!!

8 comentários:

  1. Marina
    Cadê a minha camiseta?
    Quando entrei alguém ficou de me enviar, lendo como tudo começou lembrei da minha camiseta.kkkkk
    Beijos lindona!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, preciso de um patrocínio para fazer nossa camiseta!!! Será que alguma empresa se anima? Ia ficar lindaaa, não ia?? :))) Bjs bjs bjs

      Excluir
  2. Essa sua ideia mudou a minha vida!!!! Me ajudou a superar o tratamento, me proporcionar conhecer pessoas maravilhosas como você!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thati!!! E eu que conheci pessoas como você!!! :))) E como esse grupo me ajuda!!!! Mts bjsssssss

      Excluir
  3. nosso cantinho é divino, vende tek pix como ninguém, mas é nosso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas vamos falar de coisas boas... kkkkkkkkk

      Excluir
  4. Oi, Marina! Super me identifico contigo! Também sou médica, 31 anos e passei por uma mastectomia há 17 dias por Ca ductal in situ... Faço minhas as suas palavras neste post... Essa semana vou fazer uma porrada de exames e morrendo de medo de achar mais alguma coisa... Aliás, você sabe se dá pra fazer os BRCA pelo SUS? Porque o bichinho é caaaro e o plano não cobre... Beijinhos, Ana Paula

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieeee!!! Ahhh, pensa só: foi in situ!!! Vai dar tudo certo... dos males, o menor!!!! :)))) Fica tranquila. Olha, não sei não! Vc é de onde? Eu fiz o oncotype e paguei uma fortunaaaaaaaaaaaaa! (6000 reais! uiii)
      Qq coisa, me fala, viu? :) Mil beijos!!!!!!!!

      Excluir